Lista de acadêmicos matriculados em TFG I e II

TFG 1

  • AMANDA SILVA DOS SANTOS – Prof. Neli
  • BERNARDO MAYER STECKEL – Prof. Gilson
  • DANIEL DE MOURA PINTO – Prof. Rosana
  • DEBORAH DA SILVA ALVES – Prof. Glaíse
  • LUISA IANARA DOS REIS NEVES – Prof. Rosana
  • LUIZ GUSTAVO MOUSQUER DE OLIVEIRA – Prof. Gilson
  • MÁRLON MATA DE SOUZA – Prof. Maurício
  • RENAN ADRIAN DE MATTOS – Prof. Bebeto
  • VICTOR PIAS SALGUEIRO – Prof. Bebeto

 

TFG 2

  • ALESSANDRA LOVATO CICHOSKI – Prof. Morgana / Bebeto
  • CAMILA SEVERO PORCIUNCULA – Prof. Fausto
  • DIEGO OLIVEIRA DOS SANTOS – Prof. Bebeto
  • FABIANA DE AZEVEDO LEMOS – Prof. Fausto
  • JOÃO ALBERTO DE MIRANDA FILHO – Prof. Glaíse
  • LUANA IENSEN GONÇALVES – Prof. Maurício
  • MATEUS KONZEN – Prof. Bebeto
  • RAUL KURTZ CEZAR – Prof. Sione
  • ROGER BOLZAN DA SILVA – Prof. Gilson
  • RENAN BRANDÃO MAURMANN – Prof. Gilson

Professora cria site com dicas para alunos de comunicação

cropped-female-865110_1280

A jornalista e também professora Patrícia Paixão criou o blog Formando Focas, com o intuito de compartilhar suas experiências de mais de 15 anos atuando na área jornalística. Patrícia publica desde suas “neuras” até quando devemos ou não usar pontos finais.

Ela é formada pela Universidade Metodista de São Paulo (Umesp), com mestrado pela mesma instituição. A profissional passou por empresas como Record, iG, Folha de S.Paulo e Dabra Editora. Além disso, atuou como assessora de imprensa e gerente de comunicação.

Confira o blog e aprenda mais sobre esta profissão tão importante nos dias atuais.

11 pontos para proteger fontes jornalísticas na era digital

jornalismo-eradigital

É um estudo sobre a situação da proteção de fontes, feito em 121 países pelo Fórum Internacional de Editores para a UNESCO.

As estruturas jurídicas que protegem fontes confidenciais no jornalismo e que são indispensáveis para repassar informações de interesse público, estão sob pressão na era digital em todo o mundo. Está aparecendo uma necessidade de revisá-las e fortalecê-las – ou introduzi-las onde não existem, de acordo com o estudo Protegendo Fontes de Jornalismo na Era Digital.

Foi concluído que uma estrutura jurídica modelo deve:

1. Reconhecer o valor do interesse público da proteção de fontes com sua base legal de direito à liberdade de expressão (incluindo liberdade de imprensa) e à privacidade. Essas proteções também devem ser incorporadas à constituição do país;

2. Reconhecer que a proteção à fonte deve ser estendida a todas as ações jornalísticas e a todas as plataformas, serviços e meios (de armazenamento de dados e publicações) e que inclui os dados digitais e meta-dados;

3. Reconhecer que a proteção da fonte não implica o registro ou licenciamento dos praticantes de jornalismo;

4. Reconhecer o impacto potencialmente negativo sobre o jornalismo de interesse público e na sociedade de que informações relativas a fontes estejam sendo coletadas em gravações de dados em massa, rastreamento e armazenagem;

5. Afirmar que o Estado e atores corporativos (incluindo intermediários) que captam dados jornalísticos digitais devem tratar isso de maneira confidencial (avaliando também a conveniência do armazenamento e se a utilização de tais dados é consistente com o direito geral à privacidade);

6. Proteger a atividade jornalística da vigilância dirigida, retenção de dados e entrega de material ligado a fontes confidenciais;

7. Definir exceções a todos os expostos acima de forma muito restritiva, assim como preservar o princípio da proteção de fonte como norma e padrão efetivo;

8. Definir exceções em conformidade com os critérios de “necessidade” e “proporcionalidade” – em outras palavras, quando não existe a possibilidade de uma alternativa à divulgação, quando há maior interesse público na divulgação do que na proteção, e quando os termos e extensão de divulgação ainda preservarem a confidencialidade o tanto quanto possível;

9. Definir um processo judicial transparente e independente com possibilidade de recursos contra as exceções previstas em lei, e assegurar que os agentes de aplicação da lei e agentes judiciais sejam instruídos sobre os princípios envolvidos;

10. Criminalizar violações arbitrárias, não autorizadas e voluntárias da confidencialidade das fontes por terceiros;

11. Reconhecer que as leis de proteção da fonte podem ser reforçadas através da legislação complementar de denúncias anônimas.

Mais informações sobre o estudo no site da Abraji.

Jornalistas criam portal sobre meio ambiente e sustentabilidade

organics-news-brasil-site

Nesta semana comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente e em função disso, quatro jornalistas se uniram para colocar no ar o mais novo portal de notícias e análises sobre o meio ambiente e sustentabilidade.

O site Organics News Brasil, tem o slogan “estilo de viver sustentável” e foi Idealizado por Vera Moreira (editora-chefe), Helvio Borelli, Luiz Fernando Magliocca e Walter Santos, profissionais com décadas de carreira na comunicação.

O conteúdo que pretende ser publicado todos os dias será organizado em seis editorias. Além de abordar questões voltadas diretamente ao meio ambiente, o Organics News Brasil estará voltado a ‘Comportamento’, ‘Negócios Orgânicos’, ‘Saúde’, ‘Viagem & Cultura’ e ‘Vida Urbana’.

Além das matérias distribuídas entre as editorias, o novo portal contará com as publicações de perfis e entrevistas. Com cinco profissionais atuando na redação – os quatro sócios acompanhados da jornalista Ana Finatti – e mais duas estagiárias, o site promete ter produção multimídia.

Unifra comemora 60 anos com lançamento de documentário

A Instituição Franciscana comemora suas seis décadas e para festejar a TV Unifra lançará o documentário que mostra sua trajetória, ‘60 Anos – A História e o Legado do Centro Universitário Franciscano’  nesta quarta-feira, 29 de abril, às 17h30min, no Salão de Atos do Conjunto III (Rua Silva Jardim, 1.175). Após a exibição, haverá show da banda Rocksane, no palco do Conjunto III. A entrada é gratuita.

O documentário possui cerca de 25 minutos e contém vários depoimentos de ex-alunos, professores, funcionários, além de participações especiais como a da ex-professora e escritora Ruth Larré que morreu em março deste ano.

Chamadas abertas para artigos na área da comunicação social

Maio


Revista eletrônica CoMtempo

Edição A de nº 6, de Junho de 2012

Prazo de envio de artigos:  15 de Maio de 2012

Mais informações: http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/comtempo/index

 

Contemporênea

Edição nº 20 – Música, mídia e espaço urbano

Prazo de envio dos artigos: 20 de Maio de 2012

Mais informações: http://www.contemporanea.uerj.br/ 

 

E-Compós

3ª Edição de 2012 – “Teorias e Metodologias da Comunicação”

Prazo de envio dos artigos: 30 de Maio de 2012

Mais informações:http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/index

 

Junho

 

Mídia & Política

Edição 03/2012 – As relações entre cultura jornalística e cultura política

Prazo de envio dos artigos: 05 de Junho de 2012

Mais informações:  http://www.midiaepolitica.unb.br

 

Revista Eco-Pós

Edição – Massas, Multidões e Mídias
Prazo de envio de artigos: 01º de Junho de 2012

Mais informações: http://www.pos.eco.ufrj.br/ojs-2.2.2/index.php?journal=revista

 

Julho

 

Comunicação & Inovação

Edição nº 25, referente ao segundo semestre de 2012 – Temas livres

Prazo de envio dos artigos: 31 de Julho de 2012

Mais informações: http://seer.uscs.edu.br 

 

Agosto

 

Signo y Pensamiento

Edição nº 62

Prazo de envio dos artigos: 30 de Agosto de 2012

Mais informações: http://recursostic.javeriana.edu.co/cyl/syp/

 

Setembro

 

Revista Eco-Pós

Edição – Imaginando o Real: Novos Realismos
Prazo de envio de artigos: 30 de Setembro de 2012

Mais informações: http://www.pos.eco.ufrj.br/ojs-2.2.2/index.php?journal=revista